Página:Jéca Tatuzinho (1924).pdf/26

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


A preguiça desappareceu. Quando elle agarrava no machado as arvores tremiam de pavor.

Não havia floresta que pudesse com elle. Era pan, pan, pan,... horas seguidas, e os jequetibás colossaes não tinham remedio senão morder o pó.

E Jéca, cheio de coragem, botou abaixo um grande capoeirão para plantar uma roça de tres alqueires.

E plantou grande numero de arvores nas terras que não prestavam para cultura, formando assim lindas mattas artificiaes.

E concertou todos os buracos da sua casa. E fez um chiqueiro para os porcos. E um galinheiro para as aves.

O homem não parava. Vivia contente, a dar gostosas risadas, a cantar modinhas e a trabalhar com uma furia que espantou até o seu vizinho italiano.

Os passantes paravam para vel-o na labuta e diziam:

— Descance um pouco, homem! Que furia é essa? Assim você rebenta...

— Quero ganhar o tempo perdido, respondia elle sem largar do machado. Quero tirar a prosa do "intaliano"!

22