Página:Jéca Tatuzinho (1924).pdf/38

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


— Quem o viu e quem o vê! Nem parece mais brasileiro. E' um "estranja" puro até na fala. E' good morning p'r'aqui, all right p'r'alli...

Na fazenda do Jéca havia de tudo. Sua plantação de mandioca occupava cem alqueires de terra. Foi comprando os sitios dos vizinhos e alargando o seu, na furia de novas plantações. Enguliu até o sitio do italiano, que ficou empregado com elle, como feitor.

Jéca, além de mandioca, plantou muito café, plantou algodão, chá, mil coisas.

Deu depois para criar o bicho de seda e formou um amoreiral que não acabava mais.

Dizia elle:

— Quero que tudo aqui ande na seda, mas seda fabricada em casa. Até os saccos de mantimentos que sahirem d'aqui hão de ser de seda!

E ninguem duvidava disso. Ninguem mais se atrevia a duvidar da idéas do coronel Jéca.

34