Página:Laura de Anfriso.djvu/16

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Epistola dedicatoria.

Iá deixão ſeus aſſentos os Trajanos;
Ia perdem ſeu valor ſua excellencia,
Os que vencerão Turcos, & Affricanos.
Pafece que renace â competencia
No Sybillino peito hum nouo ſprito,
Que tem de voſſa gloria alta ſciencia.
Ceſſe de Polliam o falſo eſcrito.
Cujas grandeſas forão mentiroſas;
O voſſo verdadeiro he infinito.
Voſſos berços Senhor brotãrão roſas;
Dando o balſamo Aſſyrio vulgarmente
Alegres primaueras deleitoſas.
Agora ſe hão de ver mais claramente
Em voſſa caſa os tempos Saturninos;
Voſſo nome ha de andar de gente em gẽte;
Vòs mouendo os alfanges diamantinos
Materia aueis de ſer de altas hiſtorias
Para mais ſublimar a engenhos dinos.
Princepe raro voſſas grandes glorias
Hão de por em profundo eſquecimento
Dos Ceſares antigos as memorias.
Vôs ſois de altas venturas firmamento,
Vôs de Bragança imagem verdadeora,
Vôs liſonja de amor ao pensamento.
Vôs deſdo Herculeo Calpe a derradeira
Parte,onde o roxo ma açouta a terra,
Que inda do Grego Rey treme a bãdeira:

Sereis