Página:Laura de Anfriso.djvu/34

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Ecloga primeira


Me virão ſolitarío, & diſcontênte?
Os dous olhos a par correndo em fio,
Com que a larga corrente acrecentaua.
Deſpois que deſpertaua
Daquelle mortal ſono o penſamento;
Pera que alliuiaſſe
Em parte meu tormento,
Pondo os olhos no chão, & a mão na face,
Laurá, Laura, mil vezes repetia,
O monte Laura, Laura, reſpondia

Nâo mais não mais tiranos penſamentos
 Não mais que aſſâs prouel voſſos rigores
 Não mais, não mais cuidados mentiroſos
 Ia agora cantareis ſabios Paſtores
 (Entre os fogos de Fillis, & os tormentos
 A que chamou Menalcas glorioſos)
 Deſenganos ditoſos
 Qué indá q̃ em algum tempo me tardarão
 Em dar morte a meus danos;
 Em fim em fim chegârão;
 Venhais embora ô ſantos deſenganos
 De minhas glorias vnico teſouro.
 Oh tempo venturoſo, idade de ouro.

Bem como aquelle aquem o mar vomita,
 Depois da procelloſa tempeſtade

Sacrifi-