Página:Memorias de um pobre diabo.pdf/28

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
18
CAPITULO VIII.


— Bom dia, vizinha; disse elle parando a um metro de distancia.

— Deus lhe dê o mesmo; respondeu ella.

— O vizinho Onofre, está?

— Sahio.

— Tinha a dar-lhe boa noticia.

— Que noticia é, então?

— A da entrada deste meco para a companhia de aprendizes marinheiros... além de outros, pelo atrevimento... a vizinha bem sabe...

Para encobrir o pudor, que me colorio as faces, abri a artinha fingindo declinar o servus servi, observando de esguelha a vizinha.

— Por isso não vá agora o vizinho, acudio ella medindo as palavras, desencaminhar o moço dos estudos.... sabe que... repelli o atrevimento... Disse — repelli — em tom menor.

— Desencaminhado anda elle, ha muito tempo, tornou meu tio... Ainda hontem, fui saber no mercado que o nome deste madraço já corre em letras de fórma.