Página:Memorias de um pobre diabo.pdf/52

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
42


—Qual dellas? o padre falla em tantas...

—A da rua da Lapa, a unica Mariquinhas, que tenho confessado, de olhos azúes. O marido foi removido.

—Coitado do homem!

—Faça idéa do meu pezar ao receber esta noticia, chegando hontem de Petropolis.

—Avalio!

—Vossê, deve escrever um artigo contra o ministerio, tosando a valer o ministro da fazenda. Isso é cousa que se pratique, remover d'aqui para alli e sem porquê um pobre empregado publico?

—E de mais a mais casado!...

—E querem moralidade, e exigem honradez da pobreza obrigando-a a fazer sacrificios... escreva o artigo, mostre tambem saber prosa.

—Mas, padre, porque não o-escreve vossê, que é o interessado?

—Muito obrigado! então vossê porque não é padre, não se interessa pelos seus semelhantes?

Non sibi soli se natum homo
Meminerit...

Seja menos egoista meu poeta, e glose o motte: