Página:Meu amor! adoro-te!.pdf/8

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

ou "catarrhina" Parece que não ha ninguem, de senso normal e de idéas claras, que abandone a filiação divina para cahir nos braços paternos de um gorilla felpudo e mal encarado. Se tal homem houvesse, daria pessima prova de sua integridade mental ! O caso de Dayton é recente; o professor Scoppes é um exemplo.

Vê-se, assim, que o Christianismo tem resistido aos tempos e á Sciencia, não só por motivos espirituaes, mas tambem, e principalmente, por questões de Esthetica.

Apeguemo-nos, pois, á Biblia, e vejamos ahi como o primeiro homem conquistou a primeira mulher.

Perdão !

Naquelle tempo houve uma inversão nos papeis : foi a mulher que conquistou o homem.

Meu amor! adoro-te! (page 8 crop).jpg

DÃO que bocejava, entediado com a mattaria do Eden, teve desejos de possuir alguem que o ajudasse a contemplar a terra, porque elle, sózinho, se cansára com tal trabalho.

E, segundo a Biblia, "disse o Senhor Deus : Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora, que esteja como deante delle". E, da costella do vadio, manipulou Jehovah uma "ajudadora" fresquinha e lépida chamada Eva.

Ora, Eva não veio ao mundo com a alma com que Ruskin veio mais tarde. E, assim sendo, não achou a naturezą mais bella que o seu companheiro. Enamorou-se delle. E, emquanto Adão, muito compenetrado e muito grave, embasbacava para as arvores e boguiabria-se para os regatos, ella, menos contemplativa, conspirava com a serpente, para que o lôrpa achasse nella, emfim, as bellezas sublimes que, em vão, buscava na natureza.

E o interessante é que achou !

A astucia viperina de que Eva se apossára conseguiu desviar os olhos do homem do encantamento edenico e fazel-os fixar-se, extaticos, nas graças ignoradas da companheira.. A' sombra da arvore amaram-se finalmente.

Estava consummada a primeira conquista. E estava consummada, tambem, a primeira transgressão humana a leis inviolaveis e draconianas.

Resultado : o castigo. Deus apparece e, juiz inexoravel, lança sobre a mulher avalanches desordenadas de tremendas apostrophes.

Eva treme. Faz beicinho. Chóra. Promette não peccar mais. Promessa inutil, de resto, porque o peccado se apossára, irremediavelmente, de Adão. O malandro, carregando nos hombros um castigo menor, não temeu consequencias repressivas da Divindade. E desd'ahi tem sido elle o autor audacioso da conquista.

Eva, sentindo nos ouvidos, até hoje, o resôo apocalyptico da maldição divina, teme, esquiva-se, foge... Mas Adão, menos alvejado pela ira do Creador, persegue-a, tentando-a, ou com palavras langues, ou com promessas, ou com violencias.

E ella cede...

Cede porque, nesse ponto, ella está com Wilde neste preceito commodo : "0 unico meio de atalhar as tentações é cahir no peccado"