Página:Miragaia (Almeida Garrett).pdf/23

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 16 —

«Que ahi n'essa praça d'armas
Tua gente faças junctar,
Ahi deante de todos
A vida quero acabar

«Tangendo n'ésta bozina,
Tangendo até rebentar;
Que digam os que isto virem,
E lhes fique de alembrar:

«Grande foi o seu peccado,
«No mundo andou a soar;
«Mas a sua penitencia
«Mais alto som veio a dar.»

Quizera-lhe o bom do moiro
Por fôrça alli perdoar:
Mas se a pêrra da rainha
Jurou de á morte o levar!…

Veis na praça do castello,
Toda moirama a ajunctar;
Em pé no meio da turba
Ramiro se foi alçar.

Tange que lhe tangerás,
Toca rijo a bom tocar;
Por muitas leguas á roda
Reboava o bozinar.

Se o ouvirão nas galés
Que deixou a beira-mar?
De-certo ouviram, que um grito
Tremendo se ouve soar…