Página:O livro de Esopo fabulario português medieval.pdf/59

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
47
FABULARIO PORTUGUÊS

despreçam. E o homem nom conhoçe o bem nem o doçe ssenom quamdo gosta ho am[argo]; pero quamdo o homem ha boa auemturança, /       [Fl. 37-v.] deue ha conhoçer. Nehũu[1] que está em liberdade nom sse faça seruo, como fezerom as rrãas.


LI. [As pombas, o gavião e o minhoto]

[C]omta-sse que as poombas hũa vez tomarom o gaviam por senhor pera as defemder da batalha do mynhoto: e o gaviam defemdia-as muyto bem; e depois que as defemdeo, tomava d’ellas e comia-as. E esto quamtas ell queria. E a[s p]oo[m]bas[2], veemdo tamto mall, começauam de braadar e diziam que milhor lhes era aver guerra com o mynhoto ca morte ssem batalha.




Em aquesta estoria o doutor nos emssina que deuemos sseer sabedores e esguardar a fim d’aquello que fazemos, porque me[lh]or[3] he ssofrer pouco mal que muyto mall.

       [Fl. 38-r.]E esta hestoria comcorda com as outras duas amte dictas.[4]


LII. [O ladrão e o cão]

[C]omta-sse que foy hũa vez hũu ladrom que queria de noute rroubar hũa casa, a quall guardaua hũu cam: e o ladrom chamaua o cam, [e][5] que[ri]a-lhe[6] dar do pam; e o cam disse:

— Tu me queres dar este pam por tall que nom ladre, e queres rroubar esta [casa][7], que bem ssey que este pam que me tu queres [d]ar[8] tem peçonha ascomdida. Eu nom fa[ço com]tigo[9] amizade, ca eu amo mays meu senhor que nom a ty; e sse tu nom te partes d’aquy eu b[raa]darey[10] alltas vozes.

E o ladrom quis[11] procu[rar][12] /       [Fl. 38-v.] de filhar o que estaua em casa: e o cam começou fortemente de ladrar, e o ladrom fugio com temor.




  1. por extenso: nehũu, o que confirma o que se disse supra, na nota 7 da fab. I e noutros logares. Cf. nhehũa na fab. XXXIV.
  2. O ms. está roto onde ponho colchetes.
  3. O ms. está roto onde ponho colchetes.
  4. Refere-se às fábulas Os Athenienses que elegem um rei e As rãs que pedem um senhor a Jove.
  5. Roto no ms. o que ponho entre colchetes.
  6. Roto no ms. o que ponho entre colchetes.
  7. roubar esta mal distincto; casa apagado.
  8. Apagado o que ponho entre colchetes; queres está em abreviatura.
  9. Apagado o que ponho entre colchetes; queres está em abreviatura.
  10. Roto o que ponho entre colchetes. Na fab. LI ha tambem braadar.
  11. O ms. está aqui um tanto apagado, mas, examinando-o com cuidado, vê-se que a respectiva palavra é realmente quis, e não mais, como tambem poderia parecer.
  12. O ms. está roto onde ponho colchetes.