Página:O missionário.djvu/354

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


E Macário, feliz por ter achado afinal a explicação do caso, acrescentou com malícia:

- Invejas do mano, pois não é?

Uma contração fechou o rosto expansivo do jovem. Um profundo suspiro levantou-lhe o peito.

- Não, Sr. Macário, não se trata disso. Mas já me explico. Padre Antônio vai em missão à Mundurucânia...

- Vamos, pois não! interrompeu Macário.

- Pois é isso, tornou o Totônio, sei que S. Rev.ma tem demorado a viagem por falta de remeiros...

- Ah! Já sei, o Sr. Totônio sabe de alguns tapuios que se prestam a remar até o porto dos Mundurucus? Pois olhe, admira-me muito isso. Tenho procurado tanto! Quando sabem que é para ir até às tabas de selvagens que comem gente, todos fogem. E o senhor sabe de gente que se preste a isso?!

- Sei. Estou pronto a remar na