Página:Obras completas de Castro Alves (1921, v 2).djvu/16

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


AO ROMPER D’ALVA



Pagina feia, que ao futuro narra
Dos homens de hoje a lassidão, a historia
Com pranto escripta, com suor sellada
Dos pariás miserrimos do mundo!...
Pagina feia, que eu não posso altivo
Romper, pisar-te, recalcar, punir-te!...

Calasans



Sigo só caminhando serra acima,
E meu cavallo a galopar se anima
      Aos bafos da manhã.
A alvorada se eleva do levante,
E, ao mirar na lagôa seu semblante,
      Julga ver sua irmã.

As estrellas fugindo — aos nenuphares
Mandam rutilas perolas dos ares
      De um desfeito collar.
No horizonte desvendam-se as collinas,
Sacode o veu de sonhos de neblinas
      A terra ao despertar.

Tudo é luz, tudo aroma e murmurio,
A barba branca da cascata o rio