Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v1.djvu/208

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


No more! O never more!
SHELLEY

 
Quando em meu peito rebentar-se a fibra,
Que o espírito enlaça à dor vivente,
Não derramem por mim nem uma lágrima
Em pálpebra demente.
 
E nem desfolhem na matéria impura
A flor do vale que adormece ao vento:
Não quero que uma nota de alegria
Se cale por meu triste passamento.