Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v2.djvu/235

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


orvalho não deve ser bom para quem vem de viagem. Vamos cear. Daqui a pouco o luar estará claro e poderemos vir.

Macário: Fiat voluntas tua.

Satan: Amam!

(Ao luar. Junto de uma janela está uma mesa.)

Satan: Então, não bebes, Macário? Que tens, que estás pensativo e sombrio? Olha, desgraçado, é verdadeiro vinho do Reno que desdenhas!

Macário: E tu és mesmo Satan?

Satan: É nisso que pensavas? És uma criança. De certo que querias ver-me nu e ébrio como Caliban, envolto no tradicional cheiro de enxofre! Sangue de Baco! Sou o diabo em pessoa! Nem mais nem menos: porque tenha