Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v2.djvu/243

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


como o do morto: mas acordarás, e amanhã lembrarás sonhos como um ébrio nunca vislumbrou.

Macário: Vamos-estou pronto.

Satan: Deixa-me beber um trago de curaçau.-Vamos. A lua parou no céu. Tudo dorme. É a hora dos mistérios. Deus dorme no seio da criação como Loth no regaço incestuoso de sua filha. Só vela Satan. Satan, com a mão sobre o estômago de Macário, que está deitado sobre um túmulo.

Satan: Acorda!

Macário (estremece): Ah! pensei nunca mais acordar! Que sono profundo!

Satan: Divertiste muito à noite, não?

Macário: É horrível! horrível!

Satan: Fala.