Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v2.djvu/290

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


A voz: Tomou ontem uma bebedeira. Está ébrio como uma cabra.

(À porta de uma taverna) (Macário vai saindo e encontra Satan)

Satan: Onde vais?

Macário: Sempre tu, maldito!

Satan: Onde vais? Sabes de Penseroso?

Macário: Vou ter com ele.

Satan: Vai, doido, vai! que chegarás tarde! Penseroso morreu.

Macário: Mataram-no!