Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v2.djvu/291

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Satan: Matou-se.

Macário: Bem.

Satan: Vem comigo.

Macário: Vai-te.

Satan: ÉS uma criança. Ainda não saboreaste a vida e já gravitas para a morte. O que te falta? Ouro em rios? eu t'o darei. Mulheres? tê-las-ás virgens, adúlteras ou prostitutas -O amor? dar-te-ei donzelas que morram por ti, e realizem na tua fronte os sonhos de seu histerismo Que te falta?

Macário: Vai-te, maldito!

Satan ( afastando -se): Abrir a alma ao desespero é dá-la a Satan. Tu és meu. Marquei-te na fronte com meu dedo. Não te perco de vista. Assim te guardarei melhor. Ouvirás mais facilmente minha voz partindo de tua carne que entrando pelos teus ouvidos.