Página:Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto (1865).djvu/81

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 75 —

A sexta estrophe começava com os seguintes versos:


      Qual formada nos ares
Em densa nuvem grossa tempestade,


que forão substituídos por estes:


      Qual sobre os densos ares
Horrenda tempestade já formada.


Não contente com essa substituição o poeta ainda fez uma terceira correcção, que é a seguinte:


         sobre os densos ares
Horrenda tempestade alevantada.


A setima estrophe era assim:


    Assim a grande Augusta,
Que vê o mal com animo paterno,
    N’uma mão sabia e justa
Vem collocar as redeas do governo;
Eu vejo a náo já livre da tormenta
Buscar o porto livre da tormenta.


E soffreu as seguintes alterações:


    Assim a grande Augusta
Que vê o mal com animo paterno,
    Em mão prudente e justa
Vem collocar as redeas do governo.
Eu vejo a náo, já do perigo isenta,
Buscar o porto livre da tormenta.


A emenda do penultimo verso parece ter sido feita antes da composição do ultimo verso, e a ode escripta de improviso e nunca passada a limpo, tanto mais que o autor a deixára de concluir. É escripta em tres paginas de meia folha de papel almaço, dobrada em quarto; a ultima está em branco.