Página:Os Vilhancicos.pdf/65

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
: OS VILHANCICOS : 61

Larga, larga todo o pano,
Mareai as velas todas,
Tocai, tangei as trombetas,
Ande o pandeiro, e viola,
Boa viagem! boa viagem!
Adeos, formosa Lisboa!…

Entre os artificios estróficos encontram-se exemplos dos Ecos em Coplas tam razoavelmente conduzidas, que não resisto à tentação de as transcrever dum Auto do Natal do ano de 1700 celebrado, como os anteriores, na Sé de Coimbra. Imagine-se êste diálogo com os Pastores:

1. Como achastes o Menino?
P. Benino.
1. He seu carinho amoroso?
P. Piedoso.
1. He nos extremos constante?
P. Amante.

Todos:
Por fineza relevante
Nossa esperança se alenta;
Pois Deus nascido se ostenta
Benino, piedoso, amante.

*

1. Sabeis que é fogo incendido?
P. Luzido.
1. Vistes que é raio luzente?
P. Ardente.
1. Sentis que é sol inflamado?
P. Abrazado.

Todos:
Em tanto incendio ateado,
Arda amor em doce chama,
Pois temos um sol, que inflama,
Luzido, ardente, abrazado.

*