Página:Pacotilha poetica.pdf/214

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
210
Que fortuna terá


SENHORAS

2 Nem uma! Que todos elles
  São uns pingas sem vintem
  Até p'ra mal de peccados
  Dizem não ter o que tem.

3 Hão de fazer-vos pobrinha
  Sem terdes nem um real;
  Que essa vossa parentela
  Em chuchar não tem igual.

4 Caluda! — Um velho parente
  Vai fazer o testamento;
  O tolo passa por pobre
  Quando é um rico avarento!

5 Aos ranchos virão, senhora,
  Em vossa casa morar;
  E além de pesados serem,
  Contra vós hão de falar!

6 Muita! Excellente senhora,
  Com um primo casareis,
  E com elle de gaiola
  Vossos dias passareis.

7 Hão de, senhora, arranjar-vos
  Um mui rico casamento;
  Esperai, porque a cousa
  Está só por um momento,