Página:Pacotilha poetica.pdf/263

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
259
no Rio de Janeiro


4 Acordou da lethargia,
  Um exercito creou,
  Té em menos de anno e meio
  Uma marinha formou.

5 Tonelero vio os bravos,
  Os bravos de nossa armada,
  Para quem o brio é tudo,
  Para quem a morte é nada.

6 E lá em Monte Caseros
  Nossos bravos corajosos,
  Derrotaram os tyrannos
  Só de sangue sequiosos.

7 Que alguem disso se envergonhe
  Para mim é mais vergonha,
  Que a patria sahio-se bem
  De voragem tão medonha.

8 Escriptores não nos faltam
  Que os centos já veja eu,
  Parabens á patria amiga,
  Que já tantos sabios deu!

9 Não ha dia que eu não veja
  Poesias nos jornaes,
  Que são boas como prosas,
  Pois são versos naturaes.