Página:Pacotilha poetica.pdf/266

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
262
Da sociedade em geral


22 Lá não veria essa gente
     Que a natureza vestio
     De um luto sem fim, eterno,
     Quando em sangue se tingio!...

23 Mas veria alvas, rosadas
     Bellas filhas da Allemanha,
     Ouvindo os nomes da patria
     Na terra nova e estranha.

24 Oh! que progresso tão bello
     Ver, em vez da côr escura,
     Bellas moças, lourazinhas,
     E da mais pomposa alvura!

25 E vendo-as pelas campinas
     Ou á fonte, ou junto ao rio,
     Pensaria estar na patria
     Do Allemão sensato e frio!

26 D'antes os nossos avós
     Tinham só as cavalhadas,
     Onde os Christãos e os Mouros
     Faziam hespanholadas.

27 Hoje o Prado Fluminense
     Ostenta ricas corridas
     De cavallos e de carros
     Que são tanto concorridas!