Página:Phalenas.pdf/218

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 214 —


OS DEOSES DA GRECIA.

(Pag. 65.)

Não sei allemão; traduzi estes versos pela traducção em prosa franceza de um dos mais conceituados interpretes da lingua de Schiller.





UN VIEUX PAYS.

(Pag. 101.)

Perdoem-me estes versos em francez; e para que de todo em todo não fique a pagina perdida aqui lhes dou a traducção que fez dos meus versos o talentoso poeta maranhense Joaquim Serra:


É um velho paiz, de luz e sombras,
Onde o dia traz pranto, e a noite a scisma;
Um paiz de orações e de blasphemia,
N'elle a crença na duvida se abysma.

Ahi mal narce a flôr o verme a corta,
O mar é um escarcéo, e o sol sombrio;
Se a ventura n'um sonho transparece
A suffoca em seus braços o fastio.