Página:Quatro regras de diplomacia.pdf/19

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


QUATRO REGRAS

DE

DIPLOMACIA




I

Agradar


Até aos tempos modernos não era reconhecido o direito de manter missões permanentes n'uma côrte estrangeira; mas unicamente de as enviar sobre negocios determinados.

N'esta ultima hypothese o Soberano não se podia recusar a receber o Enviado de uma Potencia independente e amiga, sem allegar motivos muito ponderosos; mas por outro lado esta não tinha rasão de se formalisar se, concluída a missão, fosse manifestado o desejo de que o Enviado se retirasse.

Com o tempo, porém, foi-se introduzindo o costume das missões permanentes[1]; e se não é já um direito incontes-

Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg Rule Segment - Wave - 40px.svg
  1. Isto já nos dias de Hugo Grotio, que não obstante parece desapprovar tal costume como desnecessario, por haverem taes missões