Página:Rosa, rosa de amor.djvu/22

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
15
ROSA, ROSA DE AMOR


Salta, foge-me...
           Em vão. Salto-lhe empós; não tomba
Mais faminto um abutre em cima de uma pomba.
Ella, sem rumo, vai e erra ao acaso, numa
Vaga trepidação, como ao vento uma pluma.
E o seu passo recorda o chão, que abaixa e alteia
Aqui um charco, adeante um cómoro de areia.

Aos poucos, a carreira afrouxa. Em cada passo
Mais e mais ella mostra a angustia do cansaço.
Arfa-lhe o seio; perde o folego; tropeça;
Pára...
       Alcança-a meu beijo. O noivado começa.

Rosa, rosa de amor typographic ornament 02.png