Página:Ultimos Sonetos.pdf/104

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
98
ULTIMOS SONETOS


Tu és o Poeta, o grande Assignalado
Que povôas o mundo despovoado,
De bellezas eternas, pouco a pouco.

Na Natureza prodigiosa e rica
Toda a audacia dos nêrvos justifica
Os teus espasmos immortaes de louco!