Página:Ultimos Sonetos.pdf/110

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
104
ULTIMOS SONETOS


Desta minh'alma a solidão de prantos
Cérca com os teus leões de brava crença,
Defende com os teus gladios sacrosantos.

Dá-me enlêvos, deslumbra-me, da immensa
Porta espheral, dos constellados mantos
Onde a Fé do meu Sonho se condensa!