Página:Ultimos Sonetos.pdf/138

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
132
ULTIMOS SONETOS


Que chamma accende os teus pharóes nocturnos
E véste os teus mysterios taciturnos
Dos esplendores do arco de alliança?

Por que és assim, melancholicamente,
Como um archanjo infante, adolescente,
Esquecido nos valles da Esperança?!