Página:Ultimos Sonetos.pdf/164

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
158
ULTIMOS SONETOS


As ancias sóbem, as tremendas ancias!
Velhices, mocidades e as infancias
Humanas entre a Dor se despedaçam...

Mas sobre tantos convulsivos gritos
Passam horas, espaços, infinitos;
Esphéras, gerações, sonhando, passam!