Página:Ultimos Sonetos.pdf/165

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


ANIMA MEA


Ó minh' alma, ó minh' alma, ó meu Abrigo,
Meu sol e minha sombra peregrina,
Luz immortal que os mundos illumina
Do velho Sonho, meu fiél Amigo;

Estrada ideal de São Thiago, antigo
Templo da minha Fé, casta e divina,
De onde é que vem toda esta magoa fina
Que é, no emtanto, consolo e que eu bemdigo?