Página:Ultimos Sonetos.pdf/183

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


GRANDE AMOR


Grande amor, grande amor, grande mysterio
Que as nossas almas tremulas enlaça..
Céo que nos beija, céo que nos abraça
N'um abysmo de luz profundo e sério.

Eterno espasmo de um desejo ethéreo
E balsamo dos balsamos de graça,
Chamma secréta que nas almas passa
E deixa n'ellas um clarão sidéreo.