Página:Ultimos Sonetos.pdf/197

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


ASSIM SEJA!


Fécha os olhos e mórre calmamente!
Mórre sereno do Dever cumprido!
Nem o mais leve, nem um só gemido
Tráia, siquer, o teu Sentir latente.

Mórre com a alma leal, clarevidente,
Da Crença errando no Vergél florido
E o Pensamento pelos céus brandido
Como um gladio soberbo e refulgente.