Página:Ultimos Sonetos.pdf/201

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


PACTO DE ALMAS


A Nestor Victor

Por devotamento e admiração
12 de Outubro de 1897.

I

PARA SEMPRE


Ah! para sempre! para sempre! Agora
Não nos separaremos nem um dia ...
Nunca mais, nunca mais, nesta harmonia
Das nossas almas de divina auróra.

A voz do céo póde vibrar sonóra
Ou do Inferno a sinistra symphonia,
Que n'um fundo de astral melancholia
Minh' alma com a tu' alma góza e chóra.