Página:Ultimos Sonetos.pdf/28

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
22
ULTIMOS SONETOS


Gloria ao céo, gloria á terra, gloria ao mundo!
Todo o meu ser é roseiral fecundo
De grandes rosas de divino brilho.

Almas que floresceis Amor eterno!
Vinde gozar commigo este phalérno,
Esta emoção de vez nascer um filho!