Página:Ultimos Sonetos.pdf/34

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
28
ULTIMOS SONETOS


Mas sei que de alma em alma andas perdido,
Atraz de um bello mundo indefinido
De Silencio, de Amor, de Maravilha.

Vae! Sonhador das nobres reverencias!
A alma da Fé tem d'essas florescencias,
Mesmo da Morte resuscita e brilha!