Página:Ultimos Sonetos.pdf/55

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


SUPREMO VERBO


— Vae, Peregrino do caminho santo,
Faz da tu’ alma lampada do cégo,
Illuminando, pégo sobre pégo,
As invisiveis amplidões do Pranto.

Eil-o, do Amor o calix sacrosanto!
Bebe-o, feliz, nas tuas mãos o entrégo...
Eis o filho leal, que eu não renégo,
Que defendo nas dobras do meu manto.