Página:Ultimos Sonetos.pdf/71

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


ABRIGO CELESTE


Estrella triste a reflectir na lama,
Raio de luz a scintillar na poeira,
Tem a graça subtil e feiticeira,
A doçura das curvas e da chamma.

Do teu olhar um fluido se derrama
De tão suave, candida maneira
Que és a sagrada pomba alviçareira
Que para o Amor toda a minh' alma chama.