Página:Varias poesias de Paulo Gonçalvez d'Andrada.pdf/154

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
51
de Paulo Gonçalues d'Andrada.


II.

A Admiração que fala mudamente,
Lingua immortal, da verdadeira fama,
Chegue, donde não chega humano alento
E em confuſas rezoens ſẽpre eloquente,
Nas vozes miſterioſas, que derrama,
Sò capazes dum grão merecimento,
Ao mundo todo, atento
A voſsas obras, voſſas obras diga,
Que a atenção, que futil as conſidera,
Poſto que tanto as ſiga,
Tanto de comprehendellas deſeſpera,
Que porque eterno voſso nome fique
O encomenda ao ſilencio, que o publique,
Que rethoricamente, bem que mudo,
Fala o ſilencio, quando cala tudo.

Claro
G3