Senhor fremosa, nom poss'eu osmar

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Senhor fremosa, nom poss'eu osmar
por Dom Dinis


Senhor fremosa, nom poss'eu osmar[1]
que est aquel em que vos mereci
tam muito mal quam muito vós a mi
fazedes; e venho-vos perguntar
o por que é, ca nom poss'entender,
se Deus me leixe de vós bem achar,
em que vo-l'eu podesse merecer.
 
Se é, senhor, porque vos sei amar
mui mais que os meus olhos, nem ca mi,
e assi foi sempre des que vos vi;
pero sabe Deus que hei gram pesar
de vós amar, mais nom poss'al fazer;
e por em vós, a que Deus nom fez par,
nom me devedes i culpa põer.
 
Ca sabe Deus que se m'end'eu quitar
podera des quant'há que vos servi,
mui de grado o fezera logu'i;
mais nunca pudi_o coraçom forçar
que vos gram bem nom houvess'a querer;
e por em nom dev'eu a lazerar,
senhor, nem devo por end'a morrer.

Notas[editar]

  1. Osmar ou Esmar: conjecturar, conhecer, atingir com alguma coisa.