Tradução:Relato de Contos por Rebbe Nachman de Breslov/6

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Conto 6: O Rei humilde[editar]

Tradução:Relato de Contos por Rebbe Nachman/6

Certa vez havia um rei e o rei tinha um sábio. Então o rei falou para o sábio: "Existe um rei que que ele é um grande guerreiro e um homem verdadeiro e humilde (ou seja, uma pessoa verdadeira e que não se vangloria). Um grande guerreiro, eu sei que ele é um grande guerreiro pois em volta de seu país corre o mar e no mar estão soldados em navios com canhões que não permitem que se aproximem. E do mar para dentro existe um grande pântano em volta do pais, onde lá não tem nada mais do que um pequeno caminho, no qual só se pode caminhar lá apenas uma pessoa e lá também se encontram canhões e quando alguém vem guerrear se atiram com os canhões e não se pode se aproximar de lá. Porém isso que ele proclama que ele é um homem verdadeiro e humilde, isso eu não sei e eu quero que você me traga o retrato desse rei". Pois o rei tinha o retrato de todos os reis. E o retrato do rei (ou seja, que assim se proclamava) não se encontrava com nenhum rei. Pois o rei se escondia das pessoas pois ele sentava atrás de uma cortina e se encontrava longe das pessoas do seu país. E o sábio foi então até o país e o sábio refletiu consigo mesmo que ele precisava saber as características do país (ou seja, os aspectos do país, como ele é governado). E através do que posso eu saber as características do país? Através do humor do país. Pois quando precisa-se saber sobre uma coisa deve-se saber o humor dessa coisa. Pois existem vários tipos de humor. Existe um tipo em que um quer na verdade ferir outro com suas palavras e quando o outro percebe então ele lhe diz: "Eu estou só brincando", assim como está escrito no verso: "Como o louco que lança fogo, flechas e morte, assim é o homem que engana o seu próximo, diz: fiz isso por brincadeira" (Provérbios 26, 18-19). (Ou seja, assim como alguém que lança flechas na terra e diz que está brincando). E assim existe um que realmente intenciona intenciona divertir e mesmo assim lesa o outro com suas palavras. E assim existem vários tipos de humor. E existe em todos os países um país que engloba todos os países (ou seja, esse país é principal e o centro de todos os países). E nesse país existe uma cidade que engloba todas as cidades de todo esse país o qual engloba todos os países. E nessa cidade existe uma casa que engloba todas as casas de toda essa cidade a qual engloba todas as cidades etc... E lá nessa casa existe uma pessoa que engloba toda essa casa a qual engloba etc... E lá existe um que faz todas as palhaçadas e os humores de todo o país. E o sábio levou consigo muito dinheiro e foi para lá. E ele viu que lá se faziam vários tipos de piadas e humores e ele entendeu através do humor que o país era repleto de mentiras (ou seja, falsidades), pois ele viu que se faziam piadas como se enganavam as pessoas nos negócios e como que eles traziam um caso à Corte e lá é cheio de mentiras e eles recebem suborno. E ele então vai para uma Corte Superior e lá também é repleto de mentiras. E eles faziam piadas de tudo isso através do humor, onde exibiam todas essas coisas. Então o sábio compreendeu através do humor que o país era repleto de mentiras e trapaças e que não havia nenhuma verdade no país. Ele então foi e fez negócios no país. E se deixou tapear nos negóçios. E foi reclamar justiça e eles eram repletos de mentiras e recebiam suborno. Hoje ele lhes dava suborno e no dia seguinte eles já não o conheciam. E ele foi então até uma Corte Superior e lá também era cheio de mentiras e suborno. Até que ele chegou ao próprio rei. Quando ele chegou ao rei ele o chamou e disse: "De quem você é rei? O país está repleto de mentiras, do começo ao fim, e não há nele nenhuma verdade". E começou a relatar todas as falsidades do país. Assim que o rei ouviu suas palavras, ele inclinou seus ouvidos até a cortina para ouvir suas palavras. Pois para o rei era uma grande surpresa que se encontrasse uma pessoa que soubesse de todas essas falsidades do país. E os ministros do rei ouviram suas palavras e ficaram muito irritados com ele. E ele continuou contando as falsidades do país. E o sábio então disse: "Se pode até falar que o rei também é como eles, que ele também gosta das falsidades, assim como o país. Porém, pelo contrário, através disso se vê como você é um homem verdadeiro e por causa disso você está longe deles pois você não pode suportar a mentira do país". E começou a elogiar muito o rei. E o rei, pelo fato de ser uma pessoa muito humilde e onde se encontra a grandeza lá se encontra a humildade, pois assim é o caminho do humilde, que quanto mais o elogiam e o engrandecem, ele se torna menor para si e mais humilde ainda. E por causa que o sábio tanto elogiou e engrandeceu o rei, então o rei atingiu uma grande humildade e uma grande pequenez, até que ele se tornou nada. Então ele não pode se conter e retirou a cortina para ver o sábio, quem era esse que sabia e compreendia isso tudo. E então se revelou o rosto do rei. E o sábio então o viu e pintou o seu retrato e o levou ao rei.

[Notas Seguintes à Estória][editar]

"Darkei Tziyon aveloth/ Os caminhos de Tziyon são tristes" [Lam. 1:4; desde que o Templo foi destruído, é obrigado a lembrar e lamentar, e piadas desenfreadas e risos são proibidos; v. S"A O'C 560. Além disso, não há festivais ou momentos em que Deus pode ser "visto:" Ex. 23:15 etc.].

Tziyon é o aspecto do tziyunim [marcadores; marcas de todos os países, pois todos eles se reúnem lá, como está escrito, "'wera'ah 'etzem[1] adam uvanah etzlo tziyun'/ e veja o osso de[1] homem, então ele deve configurar um sinal por ele." [Eze. 39:15].

Este é [o significado de], "'Chazeih Tziyon Qiryath Mo'adeinu'/ Olhe para Tziyon, a cidade de nossas assembléias" [Isa. 33:20], cuja sigla é MeTzaCheiQ (jesting), pois é aí que todos os tziyunim', [sinais] reunidos, e quem precisava saber se fazer algo ou alguma transação comercial saberia lá. Que seja a sua vontade que seja reconstruída rapidamente em nossos dias, Amém.

Olhe, discernir e olhar, leitor, até onde essas questões chegam. Afortunado é aquele que atende e vai atingir conhecer e compreender um pouco dos segredos dessas histórias, os gostos de que não foram ouvidos desde os tempos antigos.

E saiba, que todos esses versos e alusões que são trazidos depois de algumas das histórias são apenas dicas e uma escassa divulgação do assunto, para que eles possam saber "'ki lo-davar reiq hu'/ não é coisa vazia", Deus me livre. Como foi ouvido de sua boca santa, dizendo que ele está revelando algumas meras dicas de alguns versos que sugerem o segredo das histórias, de modo a saber que ele não está dizendo, Deus me livre, tagarelar. Mas o segredo essencial das histórias está longe de saber; "'Amoq 'amoq, mi yimtzaenu'/Deep;" quem pode descobrir isso?" [Eccl. 07:24]

  1. 1,0 1,1 A palavra 'etzem foi omitida aqui.