Página:A Patria Brazileira.djvu/57

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa

— 41 —


Janeiro, oiule chega em 17 de Setembro, publicando três decretos: um sobre o novo escudo de armas do Brazil; outro, creando a bandeira nacional; e o terceiro, concedendo amnistia geral e chamando ao novo grémio os portuguezes residentes no Brazil, devendo os que se não conformassem com o novo estado de coisiis abandonar a terra brazileira dentro de quatro mezes.

No Rio de Janeiro, foi D. Pedro proclamado — Lvperador Constitucional e Defensor Perpetuo doB/rizii.

Applaudido com enthusiasmo o grande acontecimento, apenas em poucos pontos do Brazil houve alguma resistência, que foi facilmente sufFocada.

A verdadeira lucta, com o grosso das tropas portuguezas, travou-se na Bahia, onde se achava o General Pinto Madeira.

Contra este, como já dissemos, foi enviado do Rio de Janeiro o General Labatut, que sitiou a cidade de S. Salvador.

Madeira, tentando inutilisar o assedio foi repellido em diíferentes pontos, entre outros Pirajá, Cabrito q Itaparica.

Em Maio de 1823 chegava também á Bahia uma pequena esquadra brazileira sob o numdo do Almirante inglez Lord Cochiane, que o Brazil convidara pai a seu serviço. Nào lhe sendo possível travar um combate geral com a esf[uadra portugueza nuiito superior em numero, causou-lhe em diíferentes escaramuças alguns damnos.

No dia 3 de Junho, já substituído o General Labatut no visconde de Magé. commando de nossas forças pelo Coronel José Joaquim de Lima e Silva, mais tarde Visconde de Magé, lôram os portuguezes atacados, sem resultado, porém, definitivo. Reconhe-