A Bigorna

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
A Bigorna[1]
por Rudyard Kipling

A Inglaterra sobre a bigorna - ouça o martelo -
       Ressoando de Severn[2] até o Tino[3]
Nunca foi um ferreiro como nosso rei normando
       Que martelou, martelou, martelou a Inglaterra em linha!

A Inglaterra sobre a bigorna! Golpes fortes!
       (Mas o trabalho ficará maravilhoso quando terminar.)
Pequenos pedaços de Reinos não podem resistir à morte.
       A Inglaterra sendo martelada, em um martelar!

Haverá um único povo - servindo a um único Senhor -
       (Nem Sacerdote, nem Barão escapará!)
Deverá haver um único discurso e lei, alma, força e espada.
       A Inglaterra sendo martelada, e martelada se formará!

Heckert GNU white.svg Este trabalho foi publicado nos termos da GNU Free Documentation License. Blank.png

Notas[editar]

  1. Neste poema, o autor busca celebrar a formação e glória da Inglaterra, como um ferro trabalhado sobre a bigorna.
  2. O maior rio que atravessa o Reino Unido.
  3. Outro rio famoso do Reino Unido