A um livreiro

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Epigramas
por Gregório de Matos
Integra sátiras e epigramas de Gregório de Matos


A um livreiro a quem acusaram de ter comido todo um canteiro de alfaces

Levou um livreiro a dente
D’alfaces todo um canteiro,
E comeu, sendo livreiro,
Desencadernadamente;
Porém eu digo que mente
A quem disso o quer taxar;
Antes é para notar
Que trabalhou como um mouro,
Pois meter folhas no couro
Também é encadernar.