A voz do oceano

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A voz do oceano
por Luís Delfino
Publicada em Rosas Negras.


Tu stas ouvindo!... — Eu sei que tu estás ouvindo
A voz, que vem do abismo, a voz, que te seduz:
Que rubor em teu rosto!... Amor, teu rosto lindo
Tem hoje sobre a neve estranho véu de luz.
 
Do pego de tua alma um eco está subindo,
Som vago e triste, como a solidão produz:
Que fala o coração no inquietamento infindo,
Que vida te aconselha, e aonde te conduz?

A tua consciência é como um vento solto
Por sobre um mar, que foi azul, e está revolto,
Que na encontrada mó dos rijos escarcéus,

Ora te faz descer a um báratro profundo,
Ora te arranca e leva acima enfim do mundo,
Para, apenas, mostrar-te a escuridão dos céus!...