Allucinação

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Allucinação
por Cruz e Sousa
Texto publicado em Ultimos Sonetos (1905).
Texto com ortografia atualizada disponível em Alucinação.



Ó solidão do Mar, ó amargor das vagas,
Ondas em convulsões, ondas em rebeldias,
Desespero do Mar, furiosa ventania,
Bocca em fél dos tritões engasgada de pragas.

       5Velhas chagas do sol, ensanguentadas chagas
De occasos purpuraes de atroz melancholia,
Luas tristes, fataes, da atra mudez sombria
De tragica ruina em vastidões preságas.


Para onde tudo vae, para onde tudo vôa,
       10Sumido, confundido, esboroado, á tôa,
No cháos tremendo e nú dos tempos a rolar?

Que Nirvana genial ha de engolir tudo isto,
Mundos de Inferno e Céo, de Judas e de Christo,
Luas, chagas do sól e turbilhões do Mar?!