Anarda esculpida no coração lagrimoso

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anarda esculpida no coração lagrimoso
por Manuel Botelho de Oliveira


Quer esculpir artífice engenhoso
Ũa estátua de bronze fabricada,
Da natureza forma equivocada,
Da natureza imitador famoso.

No rigor do elemento luminoso,
(Contra as idades sendo eternizada)
Para esculpir a estátua imaginada,
Logo derrete o bronze lagrimoso.

Assim também no doce ardor que avivo,
Sendo artífice o Amor, que me desvela,
Quando de Anarda faz retrato vivo;

Derrete o coração na imagem dela,
Derramando do peito o pranto esquivo,
Esculpindo de Anarda a estátua bela.