Anel de Anarda ponderado

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anel de Anarda ponderado
por Manuel Botelho de Oliveira


Esse vínculo, Anarda, luminoso,
Do mínimo jasmim prisão dourada,
Logra na mão beleza duplicada,
Quando logra na mão candor formoso.

Se te aprisiona seu favor lustroso,
Te retrata os efeitos de adorada;
Porque quando te adorna a luz amada,
Me aprisionas o peito venturoso.

Agora podem teus desdéns esquivos,
Na breve roda de ouro ver seguros,
Se cuidados, se incêndios logro ativos;

Pois nela considero em males duros,
Que tenho a roda dos cuidados vivos,
Que tenho o ouro dos incêndios puros.