Archivo nobiliarchico brasileiro/Albuquerque (Visconde com grandeza de)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Albuquerque (Visconde com grandeza de)


ALBUQUERQUE. (Visconde com grandeza de) Antonio Francisco de Paula e Hollanda Cavalcanti de Albuquerque.

Nasceu em Pernambuco em 21 de Agosto de 1797.

Falleceu no Rio de Janeiro em 14 de Abril de 1863.

Filho do Capitão-Mór Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque e de sua mulher D. Maria Rita de Albuquerque Mello; neto paterno do Coronel Francisco Xavier Cavalcanti de Albuquerque e materno do Tenente-Coronel Antonio de Hollanda Cavalcanti de Albuquerque e de sua mulher D. Maria Manuela de Mello.

Casou com D. Emilia Cavalcanti de Albuquerque, filha do Conselheiro Senador Manuel Caetano de Almeida e Albuquerque, e de sua mulher, D. Emilia Amalia e Albuquerque.

Sentou praça aos dez annos, como cadete, sendo promovido mais tarde a Tenente-Coronel, posto em que foi reformado. Foi lente da Escola Real de Pelotas. Deputado por sua Provincia na 1ª legislatura de 1826 a 1829, na 2ª e 3ª, de 1830 a 1837. Senador em 1838. Ministro da Fazenda do 8º Gabinete de 1829, da mesma pasta no 9º de 1831. do Imperio e da Fazenda no 2º de 1832, da Regencia Permanente; da Marinha no 1º Gabinete de 1840 e no 4º de 1844. da Fazenda e Marinha no 6º de 1846 e finalmente da Fazenda no 18º Gabinete de 1862.

Era Conselheiro de Estado extraordinario e ordinario, em 1850; do Conselho de S. Magestade, Gentil-Homem da Imperial Camara, Dignitario da Ordem do Cruzeiro, e Cavalleiro da de Christo.

BRAZÃO DE ARMAS: Escudo partido em pala; na primeira pala as armas dos Albuquerques, que são: esquarteladas; no primeiro quartel, as armas inteiras de Portugal; no segundo cinco flores de liz de oiro; em campo vermelho, e assim os contrarios; na segunda pala. as armas dos Calvacantis que são: de vermelho e de prata, divididos estes esmaltes por uma asna de azul coticada de sable; a parte de baixo é de prata e a de cima de vermelho, semeada de flôres de prata, de quatro folhas.

CORÔA: A de Conde.

CREAÇÃO DO TITULO: Visconde com grandeza por decreto de 2 de Desembro de 1854.