Ay lagrimas bellas

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ay lagrimas bellas
Vilancete publicado em Villancicos em cinco linguas que se cantarão em o Conuento de N. Senhora da Graça de Lisboa em a festa do SS. Nascimento de N. Senhor Jesu Christo. No anno de 1646 (como Villancico X). Consulte também: Ai, lágrimas belas com ortografia atualizada.



Para ver a Deos em Portugues.

Ay lagrimas bellas,
Que em fogo brotais,
Que em neue naſceis;
Se tão ditoſas eſtais,
Se tam lindas pareceis.
Adonde voais?
Adonde fugis?
Adonde correis?
Ay, ay, ay,
Parai, parai, parai,
& ſe naſceis entre as flores
De meus amores,
Entre as flores deſcançai.
Mas ay voando,
Mas ay fugindo,
Mas ay correndo,
Chegau, chegai, chegai,
Minha alma, meu peito, meus olhos buſcai,
Porque ſe ſois queixa,
De quem o ceo deixa,
Não eſtranhe a terra, vẽdo nella eſtrellas,
Quem ſobre meus olhos olhos vos ſentir tam bellas.

Copla I.

Roſas, que ao Sol amanhecem,
Jaſmins, que á Aurora madrugão,
Por almas de ambar, que enxugão
Galas de criſtal florecem;
Tanto em vos, lagrimas, crecem
Deſſe portal os fauores
Que entre diuinos primores,
Y entre floridas cautellas,
As palhas, que fazeis flores,
Preſumem de ſer eſtrellas.
Ay lagrimas bellas, &c.

Copla 2.

Violencia tam peregrina
Nouas ſuſpençoẽs retrata;
Pois donde rayos deſata,
Centros de neue fulmina;
Mas ſe incendios determina
Furioſa entre a chama leue,
Como a palhas não ſe atreue?
Quando para florecellas,
Veſtindo alentos de neue,
Nellas confunde as eſtrellas.
Ay lagrimas bellas, &c.