Berço e túmulo

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Berço e túmulo
por Casimiro de Abreu
Poema publicado em As Primaveras


NO ÁLBUM DUMA MENINA.

Trago-te flores no meu canto amigo
- Pobre grinalda com prazer tecida -
E - todo amores - deposito um beijo
Na fronte pura em que desponta a vida.

É cedo ainda! - quando moça fores
E percorreres deste livro os cantos,
Talvez que eu durma solitário e mudo
- Lírio pendido a que ninguém deu prantos! -

Então, meu anjo, compassiva e meiga
Depõe-me um goivo sobre a cruz singela,
E nesse ramo que o sepulcro implora
Paga-me as rosas desta infância bela!

Junho - 1858..