Braços (1893)

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Braços
por Cruz e Sousa
Poema publicado em Broqueis (1893).
Obra com ortografia atualizada disponível em Braços (ortografia atualizada).




Braços nervosos, brancas opulencias,
Brumaes brancuras, fúlgidas brancuras,
Alvuras castas, virginaes alvuras,
Lactescencias das raras lactescencias.

As fascinantes, mórbidas dormencias
Dos teus abraços de lethaes fléxuras,
Produzem sensações de agres torturas,
Dos desejos as mórnas florescencias.


Braços nervosos, tentadôras sérpes
Que prendem, tetanizam como os hérpes,
Dos delyrios na trémula cohórte...

Pompa de carnes tépidas e flóreas,
Braços de estranhas correcções marmoreas,
Abertos para o Amor e para a Morte!